Última hora

Última hora

Primeiro salão europeu de Comércio Justo

Em leitura:

Primeiro salão europeu de Comércio Justo

Tamanho do texto Aa Aa

Terminou este domingo em Lyon, França, o primeiro Salão Europeu dedicado ao Comércio Justo. Um movimento que começou nos anos 50 e que tenta reger-se por regras diferentes, ou seja, um comércio sem intermediários onde o produtor recebe remuneração justa, sem estar sujeito a lobis de distribuição.

A rede de Comércio Justo debruça-se mais sobre as exportações de países em desenvolvimento para países desenvolvidos.

Olivier Schultz é presidente da Equi’sol, uma associação regional de promoção do comércio justo. Considera que se trata de um movimento que se preocupa com o consumo responsável, que engloba questões ambientais, mais também económicas e sociais, as diferenças de desenvolvimento do planeta, em especial entre os países mais pobres do sul e os mais ricos do norte.

O comércio justo representa, por enquanto, apenas um por cento do comércio mundial.

Frithof Schmidt, eurodeputado alemão dos Verdes, considera que a nível jurídico, a Comissão Europeia terá de clarificar as regras, em especial ao nível da etiquetagem dos produtos transaccionados no circuito de comércio justo.

A CIDAC é a única ONG portuguesa presente. Colabora com pequenos produtores marginalizados da Guiné-Bissau.