Última hora

Última hora

"Super Terça-Feira" crucial mas talvez não decisiva

Em leitura:

"Super Terça-Feira" crucial mas talvez não decisiva

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de metade dos Estados Unidos escolhem hoje os candidatos democrata e republicano para as presidenciais de Novembro, num teste crucial mas que poderá ainda não ser decisivo.

As primárias da “Super Terça-Feira” arrancaram no Estado de Nova Iorque. As últimas assembleias de voto a fechar as portas serão as da Califórnia, às quatro horas da manhã (hora de Lisboa).

Principal incógnita: Hillary Clinton ou Barack Obama, protagonistas de um muito disputado duelo democrata.

O senador do Illinois subiu nas sondagens em Estados-chave, como a Califórnia, que atribui o maior número de delegados na convenção de Agosto, onde será nomeado o candidato do partido.

A veterana senadora de Nova Iorque é dada como favorita nos Estados maiores mas, face às particularidades do sistema proporcional e à proximidade de Obama nas sondagens, os especialistas acreditam já que a “Super Terça-Feira” não vai decidir imediatamente o candidato democrata.

Este analista explica que “as sondagens mostram um movimento em direcção a Obama (…). Alguns estudos nacionais dão-lhe mesmo a liderança”, num momento crucial em que enfrentam “a primeira primária realmente nacional, ou pseudo-nacional”.

Do lado republicano e após as vitórias no New Hampshire, na Carolina do Sul e na Flórida, John McCain é o grande favorito.

O senador do Arizona espera confirmar hoje a nomeação à corrida presidencial, afastando definitivamente o único rival sério, o milionário “mormon”, Mitt Romney.

Mas o antigo governador do Massashussets está na “batalha”, não apenas com grandes recursos financeiros, como também com o apoio das estruturas do partido.