Última hora

Última hora

Proposta de directiva sobre repatriamento dos ilegais causa polémica

Em leitura:

Proposta de directiva sobre repatriamento dos ilegais causa polémica

Tamanho do texto Aa Aa

A favor dos sem papéis e contra as detenções de clandestinos. Cerca de 300 pessoas manifestaram-se frente ao Parlamento Europeu, em Bruxelas, contra a directiva Retorno. Pedem aos eurodeputados que rejeitem o texto sobre a detenção e a repatriação de imigrantes clandestinos.

Para Véronique Oruba, da Associação belga de Trabalhadores Cristãos, “a detenção de crianças, de famílias, de pessoas que fugiram dos seus países por razões políticas, ou por razões económicas e sociais… é inaceitável. Daí este apelo europeu das associações à mobilização, para vir dizer que esta directiva deve ser totalmente anulada.”

A proposta de directiva prevê que, antes de serem repatriados, os imigrantes clandestinos possam ser detidos em centros, durante seis meses – período, que, em casos excepcionais, pode chegar ao ano e meio.

Os eurodeputados estão divididos. Os socialistas prometerem mesmo votar contra. O relator do texto, o eurodeputado conservador Manfred Weber tentar tranquilizar os espíritos: “Definimos que um centro de retenção não pode ser uma prisão normal porque uma pessoa ilegal não é… não é um criminoso.”

O assunto é discutido, esta quarta-feira, pelos embaixadores dos Vinte e Sete, em Bruxelas, antes de ir a votos no Parlamento Europeu, em Junho, em primeira leitura.

A proposta prevê ainda outras medidas igualmente polémicas, como a detenção de menores não acompanhados e a interdição de as pessoas expulsas voltarem a entrar na União Europeia durante cinco anos.