Última hora

Última hora

Birmânia: Aumenta o número de vítimas do ciclone Nargis

Em leitura:

Birmânia: Aumenta o número de vítimas do ciclone Nargis

Tamanho do texto Aa Aa

O número de vítimas do ciclone Nargis na Birmânia não pára de aumentar. A representante da diplomacia norte-americana no país fala de cerca de 100 mil mortos.

O mais recente balanço revela que, só na localidade de Labutta e arredores, no sudeste do país, morreram 80 mil pessoas.

O vento que chegou atingir os 190 quilómetros/hora destruiu árvores, arrasou edifícios e semeou o caos num país com cerca de 55 milhões de habitantes.

Seis dias após a passagem do Nargis pelo sul da Birmânia, os sobreviventes desbloqueiam as ruas sem qualquer ajuda da Junta Militar.

Pelo menos cinco mil quilómetros quadrados do território encontra-se submerso. Muitas aldeias desapareceram e cerca de 80% dos campos de cultivo foram destruídos.

Os países vizinhos começaram a enviar para o território bens de primeira necessidade numa altura em que as doenças, a fome e a sede ameaçam milhões de sobreviventes.

Esta quarta-feira, o regime militar autorizou a entrada de ajuda humanitária das Nações Unidas no país, mas muitos funcionários continuavam à espera de visto.

A França quer que o Conselho da ONU adopte uma resolução que imponha a passagem da ajuda internacional, alegando direito de ingerência humanitária. Uma proposta, entretanto, rejeitada pela China e mais quatro países.

A maior catástrofe natural a abalar a Ásia desde 2004 terá provocado mais de um milhão de desalojados.