Última hora

Última hora

Reacendem-se os confrontos no norte do Líbano

Em leitura:

Reacendem-se os confrontos no norte do Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

Os confrontos armados entre partidários do governo e da oposição xiita reacenderam-se esta madrugada, em Tripoli, no norte do Líbano. Há notícia de tiroteios na cidade que provocaram a morte de pelo menos uma pessoa. Segundo algumas fontes 7 mil pessoas terão fugido de casa para escapar aos combates.

Ontem a cidade tinha sido palco de um ataque contra a sede local do partido Hezbollah, ao mesmo tempo que, em Beirute, o movimento xiita punha termo à ocupação dos bairros ocidentais da capital. Os militares retomaram o controlo na cidade, mas os acessos ao aeroporto e várias ruas da capital continuam ainda bloqueadas pelos homens da oposição. A revolta armada da oposição, provocou 36 mortos nos últimos 4 dias.

O fim da tensão militar, ocorreu depois do exército ter anulado a decisão do governo de abrir um inquérito à rede de comunicações do Hezbollah, readmitindo o chefe da segurança do aeroporto da capital. O Amal, parceiro do Hezbollah na oposição, garantiu que, “todos os homens e armas vão ser retirados das ruas, mas que mantém o apelo à desobediência civil enquanto as suas exigências não forem cumpridas”.

O primeiro-ministro Fouad Siniora reafirmou, horas antes, “a necessidade de desmantelar o arsenal do Hezbollah”, incumbindo o exército dessa tarefa. O equilíbrio entre os dois campos opostos está agora nas mãos dos militares, chefiados pelo general Michel Sleimane, um dos principais candidatos à presidência do país.

Desde Novembro, que o braço de ferro entre a maioria anti-síria e os partidos pró-sírios mantém o país num impasse político. A Liga Árabe reúne-se hoje para analisar a situação no país, nas vésperas do Parlamento tentar eleger um presidente.