Última hora

Última hora

Calma aparente reina nas ruas de Beirute

Em leitura:

Calma aparente reina nas ruas de Beirute

Tamanho do texto Aa Aa

Uma calma aparente reina nas ruas de Beirute, cinco dias após a eclosão dos confrontos entre o governo pró-ocidental e o Hezbollah.

A mílicia xiita retirou-se da parte oeste da cidade que ocupava desde quinta-feira. Os últimos confrontos na capital do Líbano registaram-se durante a madrugada, causando oito mortos.

No total, 53 pessoas morreram e quase duzentas ficaram feridas nos últimos cinco dias.

Amine Gemayel, líder cristão anti-Síria instou o chefe espiritual do Hezbollah a abandonar a violência:

“Antes de qualquer diálogo, insisto para que Sayyed Hassan Nasralah se comprometa diante de todos os países, incluindo, a Síria, o Irão e a Arábia Saudita a não voltar a usar armas em conflitos internos”.

A violência no Líbano eclodiu depois de a maioria anti-Síria ter ilegalizado a rede privada de comunicações do Hezbollah e demitido o chefe do aeroporto por supostas ligações ao movimento xiita. Um acto que a milícia classificou como uma “declaração de guerra”.

Entretanto, esta segunda-feira, Tripoli, no norte do Líbano, voltou a ser palco de violentos confrontos que obrigaram à retirada do exército libanês.

É a segunda vez que ocorrem confrontos na segunda maior cidade do país. No domingo de manhã, a violência provocou a morte de uma pessoa e e fez vários feridos.