Última hora

Última hora

Dominicanos decidem nas urnas se o betão compensa a crise alimentar

Em leitura:

Dominicanos decidem nas urnas se o betão compensa a crise alimentar

Tamanho do texto Aa Aa

A República Dominicana vai hoje a votos, num sufrágio presidencial marcado pelos protestos da população contra a subida do preço dos alimentos. As sondagens oficiais prevém uma vitória, à primeira volta, com mais de 50% dos votos, do actual presidente, Leonel Fernandez, que se candidata a um terceiro mandato.

Pró-americano, o centrista Fernandez reclama os louros da recuperação económica do país, baseada nos sectores da construção civil e do turismo e nas ajudas norte-americanas.

Ontem, no comício de encerramento de campanha, Fernandez apelou, “aos que sonham com novas utopias, aos que desejam um país melhor”, para que lhe renovem a confiança por mais quatro anos.

Um discurso distante dos argumentos do Partido Revolucionário Dominicano, de centro-esquerda, batido nas eleições de 2004. O candidato Miguel Vargas acusa o actual presidente de ser um “cacique pró-americano”, prometendo combater o desemprego, actualmente nos 16% e a pobreza extrema em que vive mais de um terço da população.

A campanha eleitoral foi marcada, na quarta-feira, pela morte de um opositor ao governo e de outras duas pessoas num tiroteio, a norte de Santo Domingo.

Os analistas resumem o duelo eleitoral ao combate entre o excesso de betão e a falta de alimentos. A segunda volta está marcada para Junho, se nenhum dos candidatos obter nas urnas mais de 50% dos votos.