Última hora

Última hora

Socorristas chineses resgatam vivo homem soterrado durante mais de 170 horas

Em leitura:

Socorristas chineses resgatam vivo homem soterrado durante mais de 170 horas

Tamanho do texto Aa Aa

Encontrar sobreviventes mais de uma semana após o sismo que abalou a província de Sichuan, no sudoeste da China, levará muitos crentes a falar em milagre. Ora foi precisamente o que aconteceu esta noite, quando as equipas de socorro retiraram dos escombros um homem que esteve soterrado mais de 170 horas.

Entretanto, o pânico parece ter tomado conta de uma parte da população que começou a deixar a região por recear novos sismos.

Em Chengdu, a capital da província de Sichuan, os habitantes continuam a juntar-se na praça Tian Fu para participarem na vigília em homenagem às vítimas da catástrofe.

De acordo com os últimos números oficiais, o sismo com uma magnitude de 7,8 da escala aberta de Richter, fez mais de 71.000 mortos, desaparecidos e soterrados.

O número de mortes confirmadas em todas as zonas atingidas do sudoeste do país ultrapassou já as 34 mil, 12 mil só na localidade de Beichuan.

Mais de 9.500 pessoas continuam soterradas em toda a província, entre as quais se encontram milhares de crianças que estavam na escola às 14h28, hora local, o momento exacto em que a terra começou a tremer.

São muitas as famílias que ainda não conseguiram recuperar os corpos dos seus filhos. Estas mesmas famílias denunciam as técnicas e os materiais utilizados na construção dos estabelecimentos de ensino.

Na pequena aldeia de Wufu todos os edifícios resistiram ao tremor de terra. Todos menos a nova escola primária. 137 crianças morreram.