Última hora

Última hora

Defesa dos direitos humanos foi um "fracasso" nas últimas 6 décadas

Em leitura:

Defesa dos direitos humanos foi um "fracasso" nas últimas 6 décadas

Tamanho do texto Aa Aa

A defesa dos direitos humanos é um fracasso mundial. Este é a principal conclusão da Amnistia Internacional no seu relatório anual, numa altura em que se celebra o sexagésimo aniversário da declaração universal dos direitos humanos adoptada nas Nações Unidas, em 1948.

Irene Khan, secretária-geral da organização, quer um pedido de desculpas por parte dos governantes.

“O nosso relatório é publicado 60 anos depois da adopção da declaração universal dos direitos do homem e desafiamos os governos a pedirem desculpas por 6 décadas de violações dos direitos humanos e a começarem a agir para corrigir a situação”, disse.

O documento da Amnistia Internacional refere que em pelo menos 81 países do mundo existem pessoas torturadas ou maltratadas.

Sudão, Zimbabué, Gaza, Iraque e Myanmar são as regiões onde é necessária uma intervenção urgente para combater um panorama crítico de violação dos direitos humanos.

Apesar do cenário negro traçado pela ONG, a Amnistia Internacional considera que 2008 é um ano com uma oportunidade sem precedentes para dar um novo fôlego na defesa dos direitos do homem, face à emergência de uma nova geração de dirigentes, em particular em países como os Estados Unidos, Rússia ou ainda Cuba.