Última hora

Última hora

Inflação na Eurozona volta a máximos históricos

Em leitura:

Inflação na Eurozona volta a máximos históricos

Tamanho do texto Aa Aa

A inflação da Zona Euro regressou, em Maio, ao nível mais alto de sempre, com um aumento acima das previsões dos analistas. O Banco Central Europeu não vai, tão cedo, baixar a taxa de juro. Esta subida dos preços está a ser impulsionada sobretudo pela comida e pela energia e parece estar para ficar.

A taxa de inflação anual voltou aos 3,6%, o mesmo nível que tinha já sido registado em Março, depois de em Abril ter baixado para os 3,3%. A Bélgica, onde os preços subiram 5,2% no último ano, e a Espanha, com uma inflação de 4,7%, são os campeões dos preços em alta.

Uma cidadã belga conta como os aumentos estão a afectar o dia-a-dia: “Os salários não sobem, de todo. Está tudo a duplicar ou triplicar de preço, com aumentos de 30% e 40%. A carne aumentou, a massa também, o pão está também a subir. Enfim, todos os produtos básicos para alimentar uma família subiram.

Estamos muito preocupados, a população está muito angustiada. Para os belgas, este é o nível mais alto dos últimos 23 anos. Em Espanha há 11 anos que não se via uma inflação tão alta.

Os níveis afastam-se cada vez mais dois 2% estabelecidos como limite pelo Banco Central Europeu. Se a subida dos preços continuar a este ritmo, o organismo presidido por Jean-Claude Trichet pode aumentar a taxa de juro, no final do ano.