Última hora

Última hora

OPA da belga InBev sobre Anheuser-Busch pode criar o maior grupo cervejeiro do mundo

Em leitura:

OPA da belga InBev sobre Anheuser-Busch pode criar o maior grupo cervejeiro do mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Em tempos de crise, o negócio das cervejas está a cotar-se como um dos mais animados do momento.

A cervejeira belgo-brasileira InBev lançou uma oferta publica de aquisição hostil sobre a norte americana Anheuser-Busch, a fim de adquirir todas as acções da companhia, numa operação com um valor total de 46,3 mil milhões de dólares, (cerca de 28 mil milhões de euros).

Uma soma recorde nunca antes registada no sector das bebidas alcoólicas. A compra da Anheuser-Busch, permitiria à InBev a liderança do sector mundial, superando os rivais britânicos da SabMiller.

A concretização da compra é um importante passo na consolidação do mercado num sector que nos últimos tempos foi protagonista de um processo de concentração.

Para Carlos Brito, Chefe-Executivo da InBev a marca Budweiser não será afectada: “Penso que o importante é que a Budweiser continuará a ser produzida nas mesmas fábricas, (não temos planos de fechar nenhuma), será feita pelas mesmas pessoas seguindo a mesma receita, de acordo com as mesmas tradições e legado. Acho que isso é o mais importante”, afirmou.

O gigante norte-americano que fabrica a cerveja Budweiser reagiu, em comunicado, indicando que irá analisar a proposta não solicitada onde se prevê uma contrapartida de 65 dólares por acção. Um prémio de 22% em relação ao valor actual.

A InBev trata assim de dar a volta à sua escassa presença no mercado dos Estados-Unidos, que representa apenas 1% do seu volume de venda de cervejas. Todo o contrário da Anheuser-Busch com uma cota de 48,5%.

Resta agora esperar pela resposta dos gestores norte-americanos mas o certo é que, negócios à parte, a cerveja vai continuar a ser bebida por todo o mundo independentemente de quem a comercializa.