Última hora

Última hora

Imprensa reflecte consternação europeia face ao "não irlandês"

Em leitura:

Imprensa reflecte consternação europeia face ao "não irlandês"

Tamanho do texto Aa Aa

Um “não” à Europa ou um “não” ao primeiro-ministro Brian Cowen?

Os meios de comunicação social irlandeses responsabilizam Dublin pelo chumbo do tratado de Lisboa.

A imprensa europeia reflecte a consternação dos 27 face a um novo impasse institucional.

O Público afirma que o “Tratado de Lisboa avança” apesar do “não” irlandês, fazendo eco das reacções de vários Estados membros.

Numa declaração conjunta, Berlim e Paris exprimiram o desejo de que os países prossigam a ratificação do documento que visa reformar as instituições da União Europeia.

O recém designado primeiro-ministro irlandês reconheceu o fracasso do seu governo e tentou tranquilizar os restantes Estados-membros:

“Quero deixar claro aos nossos parceiros europeus que a Irlanda não tem qualquer desejo de bloquear o progresso de uma União que tem representado a maior força, paz e prosperidade da história da Europa”.

A Irlanda vê-se agora na obrigação de encontrar uma solução para o impasse que ela própria criou.

Uma das possibilidades é organizar um novo referendo, tal como aconteceu em 2002 com o tratado de Nice aprovado pelos irlandeses numa segunda ida às urnas.