Última hora

Última hora

Uma nova crise entre D'jamena e Cartum

Em leitura:

Uma nova crise entre D'jamena e Cartum

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades chadianas acusam os militares sudaneses de terem efectuado um ataque junto à fronteira entre os dois países e de terem entrado em território do Chade.
A tensão aumenta nesta zona numa altura em que os rebeldes chadianos reivindicam a tomada mais de mais uma cidade, a terceira em três dias. A guerrilha desafiou o governo ao conquistar sábado Biltine, a 90 km de Abeche, maior centro para operações de ajuda humanitária internacional.

Ao saber da movimentação de seus opositores, o governo do Chade minimizou a ofensiva dos insurgentes, classificando-a de “propaganda rebelde”. Os elementos da guerrilha tomaram depois Goz-Beida, mais de 200 km ao sul de Abeche e encontram-se já em Am-Dam.

O governo de Idriss Deby acusa as tropas da Eufor de fechar os olhos à ofensiva dos insurgentes. Uma parte dos funcionários foram retirados da embaixada dos Estados Unidos do Chade e levados para a República dos Camarões. Grupos rebeldes armados realizam desde quarta-feira uma ofensiva contra o governo de N’Djamena na tentativa de derrubar o presidente Idriss Deby. O Chade acusa o Sudão de incentivar os rebeldes como forma de desestabilizar o país.