Última hora

Última hora

Confrontos entre facções rivais no Líbano deixam mais longe entendimento para um Governo de União Nacional

Em leitura:

Confrontos entre facções rivais no Líbano deixam mais longe entendimento para um Governo de União Nacional

Tamanho do texto Aa Aa

Após várias horas de acalmia, a violência regressou a Trípoli instalando o medo na população civil. Os incidentes registaram-se entre militantes sunitas partidários da maioria e alauitas, um grupo dissidente xiita, mas fiel ao movimento de oposição Hezbollah.

Os confrontos surgem numa altura em que ainda não há a formação de um governo de união nacional previsto no acordo de Doha, assinando no passado dia 21 de Maio, e que pôs fim a seis meses de vazio na liderança do Estado libanês.

Na noite de domingo, as duas facções já se tinham enfrentado nos bairros de Bab al-Tebbaneh e Jabl Mohsen, a Norte de Trípoli. O balanço foi de quatro mortos e 33 feridos.

Num incidente separado, Imad Yassin, um dos líderes da facção islamita Jund Al-Sham, ficou gravemente ferido numa tentativa de assassínio com bomba, num campo de refugiados palestiniano a Sul do Líbano.