Última hora

Última hora

Mugabe considera-se investido por Deus

Em leitura:

Mugabe considera-se investido por Deus

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo herói da independência considera-se presidente por direito divino. Detém o poder há 28 anos e afirmou, na passada sexta-feira que “só a Deus é permitido retirar-lhe o poder que lhe concedeu”.

Defende que o voto no MDC é um voto nos colonialistas britânicos, que não lhes dá apenas apoio indirecto, mas um poder real.

A propaganda eleitoral do ZANU-PF de Mugabe vende a mensagem de que os Estados Unidos e os britânicos utilizam o MDC como cavalo de Tróia para interferirem nos assuntos internos do Zimbabué, nomeadamente na reforma agrária.

No ano 2000, depois de perder o referendo para reformar a constituição, Mugabe lançou uma campanha de expropriação das terras dos proprietários brancos para as dar a apoiantes negros.
Lideradas pelos veteranos da independência, as ocupações das quintas foram violentas. Mugabe justifiou a necessidade de o fazer por causa do alegado apoio ao MDC.

As consequências foram dramáticas. A inflação explodiu para 100,508 por cento em Fevereiro de 2008, assim como o desemprego aumentou para 80 por cento. A Organização Internacional da Migração calcula que quase três milhões e meio de zimbabuanos tenham fugido para entrar ilegalmente na África do Sul.

Na cimeira da FAO, no passado dia 3 em Roma, Mugabe voltou a acusar os ocidentais de apoiarem a oposição.

“As organizações não governamentais estão a enviar fundos aos partidos políticos da oposição, que são uma criação do Ocidente. Além do mais, as ONG’s utilizam os alimentos como arma política para fazer campanha contra o governo, especialmente nas zonas rurais.”

O antigo celeiro de África está vazio. 25 por cento dos zimbabuanos dependem da ajuda alimentar mas a maioria da população não come mais do que uma vez por dia.