Última hora

Última hora

Tsvangirai abandona segunda volta da corrida à presidência do Zimbabué

Em leitura:

Tsvangirai abandona segunda volta da corrida à presidência do Zimbabué

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade de Harare despertou com normalidade após, este domingo, o líder do Movimento para a Mudança Democrática, Morgan Tsvangirai ter anunciado o abandono da segunda volta da corrida à presidência do Zimbabué.

A justificação da desistência prende-se com os actos de violência exercida pelos apoiantes de Mugabe aos simpatizantes do MDC, que Tsvangirai considera uma “orgia de violência”.

“As condições actuais não nos permitem ter uma votação credível, a milícia, os veteranos de guerra e até o próprio Mugabe já deixaram claro que quem votar em mim nas eleições que se avizinham enfrenta uma verdadeira possibilidade de ser ferido ou morto” afirmou Tsvangirai.

O anúncio sucedeu poucas horas depois de milhares de elementos de uma milícia ligada à Zanu-PF do Presidente Mugabe ter atacado um comício do MDC, no centro da capital.

A comunidade internacional reagiu condenando os actos de violência do regime de Mugabe.

“A Grã-Bretanha não tem uma opção militar para o Zimbabué mas é significativo que os Estados pensem na criação de uma força de manutenção de paz. Falei com o primeiro ministro da Tanzânia sobre este assunto e seria com certeza uma força africana. Mas agora o momento é clareza política para todos os políticos do mundo e isso é o que esperamos”, disse David Miliband, Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros.

O Zimbabué irá a votos no próximo dia 27 de Junho naquela que será uma segunda volta de uma eleição presidencial com apenas um candidato.

O governo de Harare já solicitou ao líder opositor que volte atrás na sua decisão e apelou também aos partidários do regime que continuem a fazer a sua campanha.

Robert Mugabe, de 84 anos, não parece querer deixar cadeira do poder de um país que governa há mais de 20 anos.