Última hora

Última hora

Livro que acusa Walesa de ter sido espião comunista esgota nas livrarias polacas

Em leitura:

Livro que acusa Walesa de ter sido espião comunista esgota nas livrarias polacas

Tamanho do texto Aa Aa

O livro que denuncia Lech Walesa como antigo espião está esgotado em inúmeras livrarias na Polónia. O antigo presidente polaco, fundador do sindicato Solidariedade e Prémio Nobel da Paz é mais uma vez acusado de ter sido informador dos serviços secretos comunistas nos anos 70.

Lech Walesa nega categoricamente as acusações, e em relação à investigação publicada em livro, o antigo chefe de Estado garante que os documentos apresentados foram falsificados. Walesa considera que se trata de mais uma iniciativa dos serviços secretos comunistas que querem manchar a sua imagem.

Para além, disso, relembra, acusações semlhantes foram feitas no passado, o assunto foi a Tribunal e em 2000 a justiça considerou infundadas as suspeitas.

A polémica divide a sociedade polaca, mas de acordo com as sondagens, 60 por cento da população continua a acreditar que Lech Walesa é um herói nacional, com um papel marcante na história e o respeito não iria diminuir se fosse provado que na juventude tinha sido agente dos serviços secretos comunistas.