Última hora

Última hora

Expectativa em torno da primeira Cimeira UE-Rússia de Medvedev

Em leitura:

Expectativa em torno da primeira Cimeira UE-Rússia de Medvedev

Tamanho do texto Aa Aa

Menos de dois meses após a sua chegada ao Kremlin, Dimitri Medvedev será, esta quinta-feira, o anfitrião da Cimeira União Europeia-Rússia, desta quinta e sexta-feira. Muitas são as expectativas, quanto ao novo presidente russo. As relações com o ex-presidente Vladimir Putin, agora primeiro-ministro, tinham-se deteriorado.

Medvedev quer avançar com um novo acordo com a União, mas não escamoteia as dificuldades: “É óbvio que há certos problemas, na relação entre os dois blocos. Alguns governos da União estão dispostos a desenvolver esta relação, e dão certos passos nesse sentido. Mas outros são capazes de bloquear esses mesmos passos.”

Medvedev faz, assim, referência ao “não” irlandês ao Tratado de Lisboa que, embora admita tratar-se de uma questão interna da União, receia que lhe retire flexibilidade na altura de tomar decisões.

Uma crítica que Benita Ferrero-Waldner, comissária para os Negócios Estrangeiros, refuta: “A União Europeia é uma instituição muito ‘sui generis’ na qual cada país cede, realmente, uma parte da sua soberania. Mas penso que já alcançámos muitas coisas. Foi preciso um pouco mais de tempo para termos um mandato, é verdade, mas agora, que temos esse mandato, a Comissão pode negociar um acordo muito abrangente, lato e profundo. Estamos prontos para começar e podemos falar a uma só voz.”

A cooperação energética é a parte mais visível do acordo que a União e a Rússia devem começar a discutir esta quinta-feira, depois de cerca de ano e meio de bloqueios – primeiro por parte da Polónia e depois da Lituânia. As negociações devem começar, oficialmente, no dia 4 de Julho. Mas ninguém avança datas para a sua conclusão.