Última hora

Última hora

Buldozer em atentado no centro de Jerusálem

Em leitura:

Buldozer em atentado no centro de Jerusálem

Tamanho do texto Aa Aa

São imagens impressionantes e que desfazem todas as duvidas.

Pouco depois de ter provocado mais um mortífero atentao no centro de Jerusálem ocidental, este buldozer ensaiva a fuga.

Mas um israelita, de T-shirt azul, saltou para junto da cabine a disparou vários tiros, contra o condutor.

Um polícia israelita nâo chegou a tempo de o deter.

Para além do autor, o atentado provocou outros quatro mortos, entre os passageiros do autocarro, e mais de 30 feridos, sete deles, em estado considerado grave.

Um agente da polícia recoprda aos momentos de ansiedade que rodearam o ataque:

“Nós chegamos aqui em segundos, estacionamos a moto na faixa da rua e tentamos estabelecer contacto com o atacante, do tractor. Apercebi-me que também lá estava um civil que, como se fosse polícia, pretendia detê-lo. O atacante estava fora de controle, segurando o volante com toda a força. E acelerava, carregando no pedal com todo o gás”.

O condutor do buldozer já foi identifficado, como sendo um palestiano, residente em Jerusálem.

Aparentemente, seria membro das Brigadas dos Homens Livres da Galileia, grupo até agora pouco conhecido, que já reivindicou a autoridade da acção.

Este grupo, em Março, tinha já desferido um ataque contra uma escola israelita, matando oito estudantes.

O Hamas já reagiu. O seu dirigente, Sami Abu Zhuri disse que tinha pouca informação. Mas considerou que lhe parecia tratar-se de “um acto normal da resistência palestiniana.

O tractor fez tombar o autocarro e atingiu outros carros.

As autoridades não descartam a possibilidade de virem a encontrar mais cadáveres ou que alguns dos feridos não reistam aos ferimentos.