Última hora

Última hora

Eleições antecipadas à vista na Áustria

Em leitura:

Eleições antecipadas à vista na Áustria

Tamanho do texto Aa Aa

Após um ano e meio de governo, o executivo de coligação austríaco chegou ao fim.

O líder do Partido Popular e ministro das Finanças anunciou esta segunda-feira que abandonava a impopular coligação.

Durante uma conferência de imprensa, em Viena, Wilhelm Molterer acusou os sociais-democratas do SPO de não respeitarem o programa comum de governo.

Depois de uma série de desentendimentos em torno das reformas da saúde, da educação e da fiscalidade, o pretexto para a ruptura foi a proposta do SPO de organizar um referendo para cada alteração nos tratados europeus, nomeadamente no que toca a futuros alargamentos.

Molterer considerou que se trata de uma “proposta populista” para tentar recuperar as boas graças da opinião pública.

Pouco depois deste anúncio, o chanceler Alfred Gusenbaueur anunciou que não se candidatava às eleições antecipadas previstas para Setembro.

Em queda nas sondagens, o chefe do executivo austríaco sugeriu o nome do ministro das infra-estruturas para candidato ao cargo de primeiro-ministro.

Werner Faymann aliado do chanceler que dirige o partido desde o mês passado é considerado como o mentor da recente política euro-céptica dos sociais-democratas.