Última hora

Última hora

Nicolas Sarkozy aguardado no Parlamento Europeu

Em leitura:

Nicolas Sarkozy aguardado no Parlamento Europeu

Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento Europeu aguarda, esta quinta-feira, a visita de Nicolas Sarkozy. O presidente francês, cujo país assume os destinos da União até Dezembro, deverá apresentar aos eurodeputados, as prioridades do seu semestre. Um semestre já ensombrado pelo “não” irlandês ao Tratado de Lisboa.

O líder da bancada socialista, Martin Schulz, espera que Sarkozy trabalhe em prol da União Europeia: “Espero que Sarkozy não faça uma política francesa. Se não a fizer, então podemos colaborar. Se temos um presidente ao serviço da União Europeia, OK, mas se é a União Europeia a estar ao serviço de Sarkozy, então teremos conflitos.”

Mas Sarkozy vai dedicar-se aos grandes desafios com os quais a Europa se confronta, num mundo cada vez mais globalizado, ameaçado pelas mudanças climáticas e pelas crises petrolífera e alimentar. Quem o garante é Joseph Daul, líder da bancada popular – a mesma à qual pertence a UMP, o partido do presidente francês: “Precisamos de avançar nos grandes temas, como a energia, o clima, o terrorismo – veja o que se passou em Istambul… E há dois outros temas que o presidente destaca, e eu também, que são a segurança alimentar no mundo – que também é um tema cada vez mais importante para o quotidiano dos nossos cidadãos – e a questão da defesa. Não para fazer a guerra, como alguns dizem, mas para garantir a paz.”

Os verdes, por seu lado, não perdoam a Sarkozy a sua intenção de estar presente na inauguração dos Jogos Olímpicos de Pequim. É um sinal muito negativo que a Europa envia à China, considera Daniel Cohn-Bendit, co-presidente da bancada: “Dizemos que está tudo bem e assim damos razão aos chineses. Continuem a bater nas pessoas que nós apoiamos – é isso que Sarkozy diz.”

Os verdes tencionam também questionar o presidente francês sobre a sua política de defesa da energia nuclear.