Última hora

Última hora

China diz-se preocupada com consequência do mandado de captura contra presidente sudanês

Em leitura:

China diz-se preocupada com consequência do mandado de captura contra presidente sudanês

Tamanho do texto Aa Aa

A China afirma-se preocupada com o impacto do mandado de captura contra o presidente do Sudão.

Pequim considera que a decisão pode pôr em causa os esforços internacionais para estabilizar a região.

O Tribunal Penal Internacional acusou ontem Omar Hassan al Bachir de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra cometidos no Darfur.

Desde 2003, o conflito na região causou duzentos mil mortes. Há registo de dois milhões e meio de pessoas deslocadas.

O chefe de estado sudanês rejeitou as acusações e afirma que não reconhece legitimidade ao tribunal de Haia.

A Casa Branca também se mostrou preocupada e ordenou o reforço da segurança dos efectivos norte-americanos no Sudão. Mas a posição norte-americana é ambígua. Washington não reconhece o Tribunal Penal Internacional mas tem repetidas vezes denunciado o genocídio na região.

Todos os países partilham uma preocupação comum: a segurança dos nove mil soldados da força mista da ONU e da União Africana que se encontram no território.

As Nações Unidas fizeram saber que a força de paz não está autorizada a cumprir os mandados de captura emitidos pelo TPI.