Última hora

Última hora

Crise política ensombra Festa Nacional belga

Em leitura:

Crise política ensombra Festa Nacional belga

Tamanho do texto Aa Aa

As divergências entre flamengos e francófonos voltam a ensombrar a Festa Nacional belga.

Esta segunda-feira, Bruxelas comemora a ascensão ao trono de Leopoldo I, o primeiro rei do país em 1831. Mas a instabilidade política promete dominar as festividades.

No domingo, o rei Alberto II apelou à união e à tolerância para pôr fim à crise que afecta o país há mais de um ano. Para o monarca as divisões não devem ser entendidas como uma fatalidade e, afirma, que é tempo para ultrapassar as dificuldades.

Palavras inéditas do rei numa altura em que a Bélgica atravessa um dos momentos políticos mais críticos da história.

Ao fim de quatro meses, o primeiro-ministro, Yves Leterme, apresentou a demissão depois de não ter conseguido apoio às propostas de reforma. O pedido foi recusado pelo monarca, mas a fragilidade do executivo é cada vez mais evidente.

Em 2007, ao ser questionado sobre o que comemoram os belgas a 21 de Julho, o líder do partido Cristão Democrata Flamengo respondeu: a proclamação da Constituição.

A data ficou, também, marcada por uma outra gaffe quando à entrada de uma missa que assinalava o dia nacional, Leterme trocou o hino belga pelo francês.