Última hora

Última hora

Cheias no Leste da Europa

Em leitura:

Cheias no Leste da Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Calças arregaçadas e indumentária desportiva para verificar in loco a situação das inundações. O presidente da Ucrânia, Victor Yuchenko, passou o fim-de-semana nas regiões do sudoeste afectadas pelas cheias, discutindo com os responsáveis planos de acção.

Depois de 5 dias de chuvas torrenciais ininterruptas, os níveis da água permanecem perigosamente elevados nos rios Prut e Dniéstr onde a água chegou a subir 7 metros colocando em perigo as obras de construção de uma barragem.

A fúria das águas já matou 22 pessoas, outras 20 mil tiveram de ser evacuadas. 40 mil habitações estão inundadas.

O mau tempo está a estragar o verão no Leste da Europa. Para além da Ucrânia, onde já se fala nas maiores cheias em 100 anos, as inundações afectam também a Moldávia e a Roménia.

Na Roménia, precisamente em Maramures, 4 pessoas já perderam a vida e estão mais 2 desaparecidas.

12 mil pessoas evacuadas já começaram entretanto a regressar a casa.

O pior parece já ter passado. As dificuldades estão agora em prestar ajuda aos mais necessitados.

Para além de abrigos e hospitais de campanha, as autoridades de Bucareste estão a construir diques para controlar as águas.

O norte e nordeste da Roménia foram as zonas mais afectadas pela chuva.

O Prut e o Dniéstr também correm pela Moldávia que não escapou às inundações. Aqui o pior ainda está para vir, segundo as autoridades, quando os rios atingirem o caudal mais elevado esta terça-feira.

Para já não há notícia de vítimas, também porque houve tempo de tomar medidas de precaução para evitar danos maiores.