Última hora

Última hora

Sérvia

Em leitura:

Sérvia

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto o Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia, em Haia, aguarda a extradição de Radovan Karadzic, a justiça segue o seu caminho na Bósnia-herzegovina.

O tribunal de crimes de guerra da Bósnia condenou a penas que chegam aos 42 anos de prisão 7 sérvio-bósnios implicados no massacre de Srebrenica em Julho 1995.

Mas para desespero dos familiares das vítimas outros 4 acusados foram absolvidos:

“É escandaloso. Onde é que está a justiça, onde? As mulheres deles vão ver os maridos, as irmãs os irmãos, as mães vão ver os filhos. Mas onde estão os meus, onde? Ainda estou a procura do meu”, lamentava uma mãe de Srebrenica

No acórdão da sentença pode ler-se que os 7 condenados “executaram de plena consciência centenas de muçulmanos”.

O tribunal considerou provada a participação destes sérvio-bósnios na execução de mais de “um milhar de muçulmanos” só no dia 13 de Julho de 1995.

Os homens também participaram na expulsão de 25 mil mulheres, crianças e velhos de Srebrenica, antes do massacre que custou a vida a 8000 muçulmanos. Um genocídio pelo qual Radovan Karadzic, mas também Ratko Mladic, que continua a monte, terão ainda de responder perante a justiça internacional.

No julgamento que durou 2 anos os 7 sérvio-bósnios foram condenados a penas entre os 38 e os 42 anos de prisão.