Última hora

Última hora

Ponto final no dossiê Tapie

Em leitura:

Ponto final no dossiê Tapie

Tamanho do texto Aa Aa

O Estado francês não vai recorrer da sentença que o obriga a pagar 285 milhões de euros ao ex-ministro socialista, Bernard Tapie, pela venda da Adidas.

A ministra francesa da Economia, Christine Lagarde, já rebateu as críticas que a decisão suscitou, desmentindo que tenha havido intervenção presidencial. “A maioria das consultas que recebi dizia que era muito falível, que tínhamos poucas hipóteses de ganhar, se recorrêssemos. O que é que vamos fazer? Vamos virar a página. Vamos acabar com essas histórias desse período a que chamamos os anos do lucro rápido do período Miterrand”, afirmou Lagarde.

O ex-ministro de Miterrand comprou o grupo Adidas em 1990 e cedeu-o logo parcialmente ao Crédit Lyonnais em 1992. Um ano depois, a Adidas foi revendida a uma filial do banco público por 318 milhões de euros e, depois, em Dezembro de 94, por 670 milhões de euros a Louis-Dreyfuss.

“É uma decisão em que o Governo, o poder, o Presidente da República tiveram, sem dúvida, implicados e, portanto, devem explicar-se agora perante os franceses”, acusou o candidato centrista às últimas presidenciais, François Bayrou. Recorde-se que no ano passado Tapie apelou ao voto em Sarkozy.