Última hora

Última hora

EUA desmentem Karadzic, mas assumem acordo com Milosevic

Em leitura:

EUA desmentem Karadzic, mas assumem acordo com Milosevic

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades norte-americanas desmentem as acusações de Radovan Karadzic sobre a existência de um acordo secreto, assinado no fim da guerra da Bósnia, para renunciar à vida política e pública.

Em troca, Karadzic não seria perseguido pela justiça.

O antigo líder é acusado de crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Depois da revelação do antigo general no Tribunal de Haia, a Casa Branca apressou-se a desmentir a existência de qualquer acordo.

No entanto, a verdade é que houve de facto um documento assinado no fim da guerra, mas com o então presidente Slobodan Milosevic. Isso mesmo foi afirmado pelo próprio Richard Holbrooke, arquitecto dos acordos de Dayton que permitiram o fim do conflito.

Holbrooke diz que Karadzic está a tentar defender-se das atrocidades que cometeu e assegura que inventou tudo.

Perderam a vida na guerra entre 1992 e 1995 mais de 100 mil pessoas.

O antigo embaixador norte-americano nas Nações Unidas afirma que foi a Belgrado em 1996 e negociou um acordo com o ainda presidente Milosevic. Para parárem os bombardeamentos, era preciso que Karadzic fosse afastado da presidência da parte sérvia da Bósnia e da liderança partidária.