Última hora

Última hora

Líderes da Ossétia do Sul deslocam mulheres e crianças para o norte da região

Em leitura:

Líderes da Ossétia do Sul deslocam mulheres e crianças para o norte da região

Tamanho do texto Aa Aa

Mulheres e crianças na Ossétia do Sul foram deslocadas para centros de acolhimento no norte da região para escapar aos confrontos com os soldados georgianos.

A informação foi veiculada pelos rebeldes da Ossétia do Sul, depois da morte de seis pessoas na noite de sexta-feira para sábado.

A madrugada passada foi calma, mas os líderes separatistas não querem arriscar, asseguram que os militares georgianos tomaram como alvos civis residentes em Tskhinvali, o bastião do executivo da Ossétia do Sul, não reconhecido a nível internacional.

O chefe de governo Yuri Mozorov confirma que a noite passada foi tranquila, mas garante que pela manhã os soldados georgianos voltaram a atacar. A situação é tensa e por isso resolveram proteger as crianças.

As autoridades de Tbilissi negam que tenham atirado sobre civis, mas acima de tudo garantem que foram os rebeldes ossetas que provocaram os confrontos.

Cerca de uma dezena de pessoas terão ficado feridas.

Por protecção, as crianças e as mães vão ser deslocadas das zonas críticas.

A Rússia tem estacionada na região uma força de manutenção da paz que, segundo o presidente Georgiano, têm como objectivo apoiar os separatistas, agarrados ao antigo bloco soviético.

Moscovo pediu calma às duas partes e assegura que os militares russos não participaram nos confrontos.