Última hora

Última hora

Georgianos regressam às zonas ate ontem ocupadas pelas tropas russas

Em leitura:

Georgianos regressam às zonas ate ontem ocupadas pelas tropas russas

Tamanho do texto Aa Aa

É um cenário de devastação, marcado ainda pela presença de postos de controlo russos, aquele que os habitantes georgianos descobrem, à medida que regressam às cidades até ontem ocupadas.

Os soldados georgianos retomaram esta manhã o controlo da base de Senaki, uma das maiores do país, junto à região da Abcásia.

Depois de 15 dias de cerco russo terem provocado um número ainda indeterminado de vítimas, o governo georgiano dá conta de pilhagens em vários edifícios públicos, bancos e casas particulares.

A polícia georgiana reiniciou esta manhã o patrulhamento de Gori, depois da retirada das tropas russas. As autoridades preparam agora o regresso dos mais de uma centena de milhares de refugiados que escaparam aos combates. Centenas de soldados russos permanecem, no entanto, a cinco quilómetros da cidade, no posto de controlo da aldeia de Karaleti.

No mercado de Gori o sentimento geral é de revolta: “Em Kurta, onde vivo, todos os habitantes abandonaram a aldeia. Os russos arrasaram a povoação que dizem agora pertencer à Rússia. É assustador”.

Outro afirma que os russos “destruíram tudo” e que está contente, “por terem partido”. “Temos medo que regressem, mas o mais importante agora é reconstruir as zonas devastadas”.

Várias equipas de desminagem foram enviadas para a cidade, onde, segundo a organização Human Rights Watch, permanecem centenas de bombas de fragmentação.