Última hora

Última hora

Ioutchenko sublinha desejo da Ucrânia em aderir à NATO

Em leitura:

Ioutchenko sublinha desejo da Ucrânia em aderir à NATO

Tamanho do texto Aa Aa

As cerimónias do 17º aniversário da independência da Ucrânia concentraram as atenções no centro de Kiev mas foi uma eventual ameaça da Rússia que motivou o discurso presidencial de Victor Ioutchenko.

O chefe de Estado sublinhou urgência do país em aderir à Aliança Atlântica para reforçar o potencial de defesa de uma nação que pertenceu à União Soviética.

“A NATO é a única via para a Ucrânia numa altura em que Moscovo mantém posições militares ilegais num estado soberano como a Geórgia”, referiu o presidente.

A independência da Ucrânia em relação à União Soviética teve lugar em 1991 após o fracasso de um golpe do Estado em Moscovo. A independência foi aprovada em plebiscito a 1 de Dezembro do mesmo ano.

Por ocasião do conflito no Cáucaso, Ioutchenko reforçou a oposição ao Kremlin emitindo um decreto a restringir as movimentações da frota russa estacionada na Crimeia, no mar negro, tornando mais tenso ambiente entre os dois países.

A península da Crimeia é uma região autónoma da Ucrânia cuja população é maioritariamente russa. Na sexta-feira, teve lugar uma manifestação pró russa e uma contramanifestação no porto de Sebastopol, por ocasião do regresso frota russa do mar negro utilizada em operações militares contra a Geórgia.