Última hora

Última hora

Convenção Democrática

Em leitura:

Convenção Democrática

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de quatro mil delegados do Partido Democrata reúnem-se, a partir desta segunda-feira,em Denver, para nomear oficialmente Barack Obama como candidato e tentar reverter os danos provocados pela batalha nas primárias com a ex-rival Hillary Clinton. É um autêntico circo mediático montado em torno de Obama, com um gigantesco orçamento de 60 milhões de dólares.
Sem surpresas, os 50 mil participantes e 15 mil jornalistas, vão, durante quatro dias, ouvir o programa oficial do candidato democrata, ratificar a nova plataforma de apoios do partido e congregar militantes.

A Convenção Democrata elege, pela primeira vez um senador negro que nada tinha, à partida, para vencer Hillary Clinton.

O analista Allan Lichtman considera que este é um acontecimento histórico nos Estados Unidos. A nomeação de um candidato negro significa ruptura. O discurso de Obama vai suscitar tanto interesse como o de Kennedy nos anos 60, pois ele significava a chegada de uma nova geração, como Roosevelt em 1932.

A primeira convenção democrata foi em 1832, e em 1853 foi a convenção para a primeira república.

É Michelle Obama quem faz o discurso de inauguração da inaugura a 45ª convenção democrata em Denver (Colorado, oeste).

Depois do casamento em 1992, Michelle deixou advocacia e trabalha num hospital universitário.

Para o porta-voz Damon Jones não há dúvidas: “o que faz esta convenção única e o senador Obama único é que ele imprimiu um cunho pessoal à campanha. Leva gente nova para o governo e para o historial das convenções. Por isso diz que esta não é uma convenção democrata mas a convenção da América”.