Última hora

Última hora

Gustav passa de furacão a tempestade tropical

Em leitura:

Gustav passa de furacão a tempestade tropical

Tamanho do texto Aa Aa

As imagens impressionam, mas o Gustav não foi o furacão devastador que previam as autoridades meteorológicas norte-americanas.

Depois da passagem pelas Caraíbas, onde matou perto de 100 pessoas, o ciclone perdeu intensidade à chegada à costa dos Estados Unidos e acabou por se transformar numa tempestade tropical.

Para já, no Estado do Luisiana, há registo de sete mortos, quatro dos quais eram doentes em estado muito grave que morreram durante a evacuação de Nova Orleães.

O furacão deixou mais de 800 mil pessoas sem electricidade no sul da Luisiana, não se prevendo que seja possível iniciar as tarefas de reparação antes de quarta-feira.

De acordo com as autoridades só ao final do dia de hoje se poderá saber se os diques vão aguentar a pressão da água.

Em conferência de imprensa, o presidente da Câmara de Nova Orleães, Ray Nagin, afirmou que os habitantes “vão poder voltar para casa dentro de dias e não semanas” como previsto.

Os deslocados permanecem, por enquanto, nos centros de abrigo à espera da tão desejada bonança.

O Gustav ainda não desapareceu completamente, mas os estados norte-americanos do sul encontram-se já sob a ameaça de uma eventual passagem de um novo furacão.

Trata-se do Hanna, que tem vindo a aumentar de intensidade e que à passagem pelas Bahamas registava ventos de 130 quilómetros por hora.