Última hora

Última hora

"Sentidos de Estado" na Figueira da Foz

Em leitura:

"Sentidos de Estado" na Figueira da Foz

Tamanho do texto Aa Aa

O Museu saiu à rua. A exposição “Sentidos de Estado” no palácio Sotto Maior, na Figueira da Foz, mostra o valioso património histórico e cultural associado à Presidência da República e à residência oficial do Presidente.

São cerca de 200 peças em oiro, prata e materiais semipreciosos, porcelanas, pinturas e esculturas.

O presépio de Belém em madrepérola, que Yasser Arafat ofereceu ao presidente Jorge Sampaio, numa visita-relâmpago a Lisboa, no Ano do Jubileu, é uma das peças expostas.

Mas nesta colecção única, patente até ao dia 5 de Outubro, pode admirar-se ainda o retrato do Marechal Gomes da Costa e de outros presidentes, a caixa de oiro que Tito da Jugoslávia ofereceu a Ramalho Eanes ou a deusa chinesa em marfim de Mário Soares.

O director do Museu da Presidência, Diogo Gaspar explica o que escolheu para esta aliança cultural com o Casino da Figueira.

“ O que trazemos para esta exposição? Sentidos de Estado, no fundo, serve para mostrar às pessoas qual é o papel do presidente, quais foram, os presidentes, qual o seu papel na sociedade, mas fazê-lo de uma forma próxima das pessoas, e não de uma forma institucional e política; quais os seus poderes constitucionais, mas através da iconografia, através dos objectos e através de pequenas histórias contar a história do presidente da República e dos seus protagonistas”.

Quem era Américo Thomaz, para além de presidente da República?
Graças ao Rei Dom Juan Carlos foi também Contra-Almirante da Armada espanhola.

O administrador do Casino da Figueira, Domingos Silva, lança o convite: “Venham ver uma parte da história dos últimos 100 anos de Portugal e começam a ter uma noção de como é Portugal no futuro. Provavelmente, poderá vir aqui um jovem, que daqui a 50 ou 60 anos, possa vir a ser Presidente da República!”