Última hora

Última hora

Viúvo de Benazir Buttho torna-se o 12o presidente do Paquistão

Em leitura:

Viúvo de Benazir Buttho torna-se o 12o presidente do Paquistão

Tamanho do texto Aa Aa

Quase um mês após a demissão de Pervez Musharraf, Asif Ali Zardari foi eleito chefe de Estado por 408 dos 702 deputados e senadores nacionais e provinciais do país.

Um resultado que está longe de ser uma aclamação. O currículo controverso do político, condenado no passado por corrupção, e as divisões que criou na coligação governamental fazem com que a sua popularidade não supere os 26%.

Zardari declarou hoje que quando a democracia fala todos ouvem, “para os que dizem que o Partido do Povo Paquistanês ou o presidência vão ser controversos sob a minha liderança, deixo-lhes esta mensagem: ouçam a voz da democracia,a voz de 99% do povo”.

Longe do carisma de Buttho, Zardari segura as rédeas do poder, num momento em que o país vive um novo ciclo de crise política e económica e uma nova vaga de violência. Zardari arrisca-se a ser alvo da cólera dos magistrados que exigem a readmissão do presidente do supremo tribunal, destituído por Musharraf.

O tema levou já os ministros da Liga Muçulmana do Paquistão a abandonarem o governo de coligação, o que poderá conduzir a eleições antecipadas.

Aliado dos Estados Unidos, o partido do novo chefe de Estado já conseguiu inflamar também a cólera dos meios islamitas, ao retomar as operações do exército contra as zonas tribais junto à fronteira afegã.