Última hora

Última hora

Schenungraber nega massacre de Falzano

Em leitura:

Schenungraber nega massacre de Falzano

 Schenungraber nega massacre de Falzano
Tamanho do texto Aa Aa

Um antigo oficial nazi julgado em Munique por crimes de guerra. Hoje com 90 anos Josef Schenungraber é acusado de ter ordenado a morte de 14 civis italianos em 1944. As vítimas com idades entre os 14 e os 74 anos, foram encerradas nas instalações de uma quinta e dinamitados. Diante do tribunal Schenungraber negou qualquer responsabilidade no massacre.

O tribunal contava receber o testemunho do sobrevivente Nino Masseti de 79 anos mas a sua deslocação a Munique não foi garantida. O crime foi cometido no dia 26 de Junho na localidade de Falzano di Cortona na Toscana apenas um rapaz de 15 anos sobreviveu. Outra testemunha lembra hoje a barbaridade do acto e explica detalhadamente o que viu: “Eles puseram minas em volta do edifício, minas anti-tanque. Dos quatro lados quatro minas e tudo foi pelos ares.”

Algumas famílias italians estão dividas para se apresentarem como parte civil no processo.
Josef Scheungraber foi já condenado a prisão perpétua em Setembro de 2006 pelo tribunal militar de Spezia no norte de Itália, mas a Alemanha que não pratica a extradição dos seus cidadãos não aplicou a pena.