Última hora

Última hora

Segunda-feira negra nos mercados mundiais

Em leitura:

Segunda-feira negra nos mercados mundiais

Tamanho do texto Aa Aa

A generalidade das bolsas europeias terminou a sessão de segunda-feira em terreno negativo fazendo eco da falência do Lehman Brothers.

Os investidores receiam um efeito dominó nos mercados financeiros depois de o quarto maior banco de investimento norte-americano ter pedido protecção federal contra credores.

Para fugir à crise, a corretora Merrill Lynch aceitou a oferta de compra do Bank of America. Um negócio de 34,6 mil milhões de euros. Para estabilizar os mercados financeiros, o Banco Central Europeu anunciou uma injecção de capital de trinta mil milhões de euros, um gesto seguido pelo Banco de Inglaterra. Nos Estados Unidos dez instituições bancárias criaram um fundo de urgência de cinquenta mil milhões de euros para socorrer bancos em dificuldades.

Um analista alemão, Oliver Roth, considera que a crise poderá fazer mais vítimas: Penso que haverá mais falências na Europa e na América. Na minha opinião haverá mais desvalorizações, o preço do imobiliário vai continuar a cair. Tomemos o exemplo do UBS. O banco que teve grandes problemas poderá sofrer ainda mais com esta crise”, disse Roth.

A queda do Lehman e a compra da Merril deverão ter repercursões sérias no mercado de trabalho em Wall Street. Segundo estimativas, o sector financeiro já suprimiu cem mil empregos e deverá eliminar em breve mais cinquenta mil.