Última hora

Última hora

Secretário-geral da NATO em Tblissi para apoiar Geórgia

Em leitura:

Secretário-geral da NATO em Tblissi para apoiar Geórgia

Tamanho do texto Aa Aa

O secretário-geral da NATO considera inaceitável a presença militar reforçada da Rússia nas regiões separatistas da Geórgia. As declarações de Jaap de Hoop Scheffer foram publicadas no Financial Times no mesmo dia em que a comissão Nato-Georgia se reúne em Tbilissi. Um sinal de apoio da Aliança Atlântica à Geórgia que ambiciona aderir à organização, facto mal visto por Moscovo.

Entretanto a Rússia cumpre o acordo assinado no dia oito, saindo de zonas estratégicas do coração da Geórgia, como a cidade portuária de Poti. Mas existem diferentes interpretações do acordo que estão a causar mau estar. Os russos vão manter mais de 7 500 soldados na Abcásia e na Ossétia do Sul. Uma posição contestada não só pela NATO mas também pela União Europeia, que negociou o plano de retirada.

Por seu lado, a Rússia apenas aceita os observadores europeus nessas regiões que Moscovo reconhece como independentes, se as autoridades locais aceitarem.

O Kremlin vai reforçar a cooperação com a abcásia.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, anunciou que estão a “preparar um acordo que permitirá a livre circulação entre a Abcásia e a Rússia, a dupla nacionalidade entre outras medidas”. Disse ainda que “haverá uma fronteira transparente para russos e abcases como acontece na União Europeia”.

Esta manhã, em Bruxelas, os 27 deram luz verde ao envio da força de monitorização nas zonas adjacentes à Ossétia do sul e da Abcásia. Uma condição para a Rússia deixar a zona.