Última hora

Última hora

Berlusconi pressiona sindicatos

Em leitura:

Berlusconi pressiona sindicatos

Tamanho do texto Aa Aa

A Alitália tem duas alternativas: aceitar a proposta do consórcio empresarial ou declarar falência.

Esta é a posição do chefe de governo italiano. Silvio Berlusconi diz que o futuro da companhia aérea está nas mãos dos sindicatos.

O primeiro-ministro refere que “a situação é inaceitável” e descarta a possibilidade de oferta por parte de outras empresas. Berlusconi afirma que o governo nada pode fazer e que a falência da Alitália é o cenário mais provável.

Promessas eleitorais à parte, o primeiro-ministro diz agora que só os sindicatos podem evitar o pior.

O último plano de recuperação foi rejeitado por seis estruturas sindicais devido à supressão do número de postos de trabalho e às condições salarais.

Muitos acreditam que a solução passa por uma nova proposta:

“Espero que surga uma outra oferta. Uma proposta de alguém que entenda deste tipo de negócio porque a oferta do consórcio italiano rejeitada pelos sindicatos é indecente” afirma uma funcionária da empresa.

Mas se o plano de recuperação do consórcio empresarial desagrada aos trabalhadores, a proposta do grupo franco-holandês, Air-France KLM mas não convenceu o governo italino.

Um homem afirma estar preocupado com a actual situação da companhia que considera ser um “símbolo de Itália” mas mostra-se, ainda, assim, esperançado num desfecho positivo do processo.

Os representantes dos trabalhadore ainda não reagiram às declarações do chefe de Governo italiano. Caso o pior cenário se confirme, a Alitália seria a primeira das maiores companhias aéreas a falir desde 2001.