Última hora

Última hora

Tzipi Livni aceita formar um novo Governo mas tem de ultrapassar divisões

Em leitura:

Tzipi Livni aceita formar um novo Governo mas tem de ultrapassar divisões

Tamanho do texto Aa Aa

Perante a imprensa na residência do chefe de Estado em Jerusalém a ex-ministra israelita dos Negócios Estrangeiros explicou que a sua prioridade é formar um Executivo que se mantenha até ao fim da presente legislatura, em 2010.

Tzip Levini pediu expressamente ao ex-primeiro ministro e ao líder do Likud, Benjamin Netanyahu, que integre o novo Governo. Uma proposta rejeitada por Netanyahu que por seu turno pede eleições antecipadas, nas quais aparece como favorito na maioria as sondagens.

Livni, vencedora das primárias de seu partido na quarta-feira passada, tem, a partir de agora, seis semanas para tratar de criar um novo Executivo. A actual coaligação governamental tem 64 das 120 cadeiras do Parlamento.

Nas primárias do Kadima, Livni derrotou, com certa dificuldade, o ministro dos Transportes, Shaul Mofaz. Ela vai ter agora que superar as reticências do partido ultra-ortodoxo Shass (12 deputados), cujo apoio é indispensável para obter uma maioria estável na Knesset.

Se não conseguir constituir um novo Executivo no prazo previsto,o presidente Shimon Peres pode encarregar outra pessoa de formar Governo ou convocar eleições antecipadas, possivelmente para março de 2009.