Última hora

Última hora

Mercados europeus reagem mal à crise financeira actual

Em leitura:

Mercados europeus reagem mal à crise financeira actual

Tamanho do texto Aa Aa

As bolsas europeias encerram as suas sessões desta sexta-feira todas no vermelho. Londres e Bruxelas protagonizaram as maiores perdas do dia com o FTSE-100 a desvalorizar 2,9% e o BFX a terminar com -3,7%.

De resto as restantes praças tiveram perdas de cerca de -1%. Em Lisboa, o indice Psi 20 sofreu uma queda de quatro décimas percentuais.

Para este analista ainda persistem demasiados problemas. “A pressão está de volta com os agentes financeiros a liderarem nas perdas” pelo que acredita “faltar ainda um longo caminho para sair da crise. Por isso todos esperam a aprovação do plano de recuperação para que pelo menos possa estabelecer a curto prazo um limite ao problema e crie uma base.

Com os mercados praticamente paralisados e algumas instituições a acusarem falta de liquidez financeira, três bancos centrais europeus decidiram injectar vários milhões no sistema.

A mais recente vítima da crise global foi o grupo financeiro Washington Mutual.

No último anos os activos tinham desvalorizado 90%. Esta quinta-feira, o Washington Mutual foi encerrado pela autoridade reguladora norte-americana e a sua actividade bancária foi imediatamente adquirida pela JPMorgan por 1,9 mil milhões de dólares, o que corresponde a 1,3 mil milhões de euros.

Diz este empregado da Washington Mutual que “há muitas incertezas e questões sobre o que vai acontecer.” Não esconde uma certa ansiedade porque há fortes probabilidades de perder o emprego “quando um grande companhia é comprada”. No entanto, conclui que “há que ter confiança nos patrões.”

Esta sexta-feira o Presidente norte-americano George W. Bush reiterou a necessidade de aprovação rápida do plano de recuperação do sector bancário da sua administração.