Última hora

Última hora

Vendas de automóveis caiem a grande velocidade

Em leitura:

Vendas de automóveis caiem a grande velocidade

Tamanho do texto Aa Aa

Dificuldades para os construtores de automóveis da Europa, no momento em que Paris recebe um dos mais emblemáticos salões do sector. Para além dos carros de alta gama, o salão vai privilegiar os utilitários, de mais baixo consumo e menos poluentes, para tentar atrair um mercado em défice de confiança.

A procura tem caído a pique, porque o crédito está mais difícil. As grandes marcas mantêm dificuldades crescentes de refinanciamento. Depois de dois anos de crescimento, a queda parece inevitável.

Em 2005, verificou-se uma retracção na procura de 0.7 por cento. Nos dois anos seguintes, houve crescimento. 0.9 em 2006, 1.1, em 2007. Mas, 2008 tem sido o ano do grande desastre automóvel. As vendas desceram 5.5.

O mês de Agosto bateu todos os recordes. As vendas cairam a grande velocidade – 15.6 por cento. As filiais financeiras das marcas, que medeiam a relação entre o consumidor final e a banca, estão a deparar com dificuldades de acesso ao crédito.

De tudo isto, resulta falta de trabalho. As associações da industria e comércio automóvel dizem que, em cada sete postos de trabalho, um está em perigo. E o próximo ano ameaça ser tão mau ou pior que 2008.