Última hora

Última hora

Crise financeira:Merkel e Berlusconi de costas voltadas

Em leitura:

Crise financeira:Merkel e Berlusconi de costas voltadas

Tamanho do texto Aa Aa

A chanceler alemã e o chefe de governo italiano estão em desacordo para a criação de um fundo europeu de ajuda aos bancos.

Num jantar em Berlim, este domingo, Angela Merkel opos-se às ideias de Berlusconi e voltou a dizer que cada país deve fazer frente às suas próprias responsabilidades no contexto da crise.

Silvio Berlusconi defendeu que “a melhor solução é criar um fundo comum da parte dos 27”. Para o chefe de governo italiano, esta “é uma decisão difícil de concretizar, que ainda não se pode realizar, apesar de ser um método comum utilizado hoje em dia”.

França, Alemanha, Grã-Bretanha e Itália concordaram num “compromisso solene” para socorrer todos os bancos solventes com problemas de liquidez, mas a possibilidade de criação de um fundo europeu semelhante ao plano Paulson está posta de parte.

A Grã-Bretanha tem uma posição similar à da Alemanha. O ministro inglês das Finanças considera que “cada Nação terá de lidar com as suas próprias circunstâncias económicas”. Alistar Darling diz, no entanto, que “os países devem trabalhar em conjunto, de forma a manter a estabilidade”.

O ministro das Finanças Teixeira dos Santos já anunciou que “aconteça o que acontecer as poupanças dos portugueses em qualquer banco que opera em Portugal estão garantidas”. Depois da Irlanda, foi a vez de Espanha seguir os mesmos passos.