Última hora

Última hora

Mercados não vencem crise de desconfiança

Em leitura:

Mercados não vencem crise de desconfiança

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de uma abertura em ligeira recuperação as bolsas europeias voltaram a mergulhar no vermelho, com os títulos de bancos e seguradoras a sofrerem as maiores quedas.

O índice Eurofirst recua de 0,87%, o DJ Stoxx paneuropeu do sector bancário, 4,5% e o dos seguros 2%.

Em Frankfurt, o Dax retomou a queda dos últimos dias com uma baixa de 1,48% a arrastar bancos como Commerzbank e o Deutsche Bank.

Em Paris o CAC40, que registou ontem uma queda histórica de 9%, estava a perder esta manhã 0,36%.

Em Londres, o Footsie cede 1,56% com as acções do Bank of Scotland a perderem 30% e a notícia de uma recessão da economia.

Em Milão, a bolsa suspendeu a cotação de sete das maiores empresas, entre as quais a FIAT ou a TELECOM.

Moscovo foi obrigada a adiar a abertura da sessão para o início da tarde, depois de uma descida de 19% e face à queda do preço do petróleo que parece recuperar ligeiramente.

Tóquio encerrou ontem com uma perda de 3%, depois do índice Nikkei ter chegado a perder quase o dobro.

Os mercados parecem não conseguir ultrapassar a desconfiança que ameaça transportar a crise, das finanças para a economia. Depois de uma segunda-feira negra com mínimos históricos em bolsas como Paris ou Lisboa, os investidores parecem cada vez mais desiludidos com as divisões políticas no seio dos 27 relativamente às respostas a dar à crise.