Última hora

Última hora

Lituanos votam em legislativas e funcionamento de central nuclear

Em leitura:

Lituanos votam em legislativas e funcionamento de central nuclear

Tamanho do texto Aa Aa

Os lituanos votam hoje em legislativas dominadas pelas preocupações face aos efeitos da crise financeira numa pequena economia onde a inflação atinge os dois dígitos.

Mas é talvez o referendo paralelo sobre a eventual prolongação de uma central nuclear da Era Soviética que centra as atenções dos parceiros na União Europeia.

Os social-democratas do primeiro-ministro Gediminas Kirkilas não deverão sair em vantagem do escrutínio mas, segundo os analistas, o pragmatismo do partido poderá permitir-lhes a liderança de uma nova coligação.

De acordo com as sondagens, nenhuma formação deverá conseguir a maioria absoluta.

O principal partido da oposição, os cristão-democratas liderados pelo antigo chefe do Governo Andrius Kubilius, é dado como o favorito, mas a falta de capacidade de conciliação com as outras formações pode afastá-lo do poder.

A central de Ignalina deverá ser fonte de discórdia entre o próximo executivo de Vilnius e Bruxelas.

Segundo as sondagens, a maioria da população apoia a extensão do funcionamento das instalações para além do fim de 2009, prazo estabelecido pela União Europeia para o fecho da central, que usa o mesmo tipo de reactores que Chernobyl.