Última hora

Última hora

Pequenas empresas sofrem com a crise

Em leitura:

Pequenas empresas sofrem com a crise

Tamanho do texto Aa Aa

Se a confiança parece estar a regressar aos mercados bolsistas, graças às medidas anunciadas por Governos e bancos centrais, o mesmo não está a acontecer com os consumidores.

Se os banqueiros já conseguem respirar melhor, do mesmo não se podem gabar os pequenos empresários.

“As pessoas são cautelosas, pensam ‘Ok, preciso de pintar o meu cabelo, mas posso aguentar mais duas semanas. Assim posso mandar a minha filha para as aulas de dança. Não posso fazer as duas coisas, porque temos de cortar nas despesas’”, diz o cabeleireiro, Mark Coray.

E a crise financeira fez com que os bancos restringissem o acesso ao crédito, impedindo, por exemplo, Lillo Smeraglia, proprietário de um restaurante, de abrir outro estabelecimento. “Fui pedir o empréstimo, mas basicamente todos os bancos disseram-me que não. Não estão interessados em emprestar-me nenhum dinheiro. Não querem saber se eu tenho algumas propriedades”, afirma Smeraglia.

Há, no entanto, uma boa notícia para quem tem créditos à habitação: as prestações devem descer.