Última hora

Última hora

Presidência da UE defende refundação do capitalismo

Em leitura:

Presidência da UE defende refundação do capitalismo

Tamanho do texto Aa Aa

Refundar o capitalismo. Esta é, nada mais, nada menos, a ambição dos 27.

Reunidos em Bruxelas, para uma cimeira europeia dominada pela crise financeira, os Estados membros da União manifestaram um consenso total sobre a forma de sair da crise: todos os países decidiram adoptar o plano de resgate dos bancos, delineado pelos membros do Eurogrupo no passado domingo.

O chefe de Estado francês e presidente em exercício da UE, Nicolas Sarkozy, sintetizou as intenções dos 27: “Não queremos que amanhã as mesmas causas produzam os mesmos efeitos. Somos unânimes ao dizer que a refundação do capitalismo deve ser global. Nenhuma instituição financeira deve escapar à regulação e à vigilância. É preciso transparência para todos os actores financeiros sem excepção.

O sistema de remunerações deve ser totalmente revisto para não favorecer a tomada cega de riscos. Os dirigentes e administradores devem ser responsabilizados pelas suas decisões.

O Conselho Europeu desta quarta-feira ficou ainda marcado pelas questões ambientais. Os 27 comprometeram-se a aprovar até Dezembro um pacote de medidas para reduzir a emissão de gases com efeito de estufa mas um grupo de oito países, liderado pela Polónia parece disposto a recuar, como deu a entender o ministro polaco dos Assuntos Europeus, Nikolaj Dowgielewizc:

“Estamos preocupados. Produzimos 94% da nossa energia a partir do carvão. As medidas não vão permitir que a Polónia e outros países produzam menos dióxido de carbono nos próximos anos como se espera. Por isso precisamos de encontrar soluções flexíveis e de tempo para fazer esse trabalho.”

A presidência francesa da União propôs ainda a realização de uma cimeira global para reformar o sistema financeiro internacional. O “novo Bretton Woods” deverá reunir os países do G8 com os representantes das economias emergentes.