Última hora

Última hora

Centenas de pessoas protestam contra abertura de mesquita em Berlim

Em leitura:

Centenas de pessoas protestam contra abertura de mesquita em Berlim

Tamanho do texto Aa Aa

A abertura do primeiro local de culto muçulmano no leste da Alemanha está provocar polémica.

Cerca de 200 pessoas manifestaram-se esta quinta-feira junto à Mesquita de Ahmaddyya em Berlim oriental.

As autoridades acreditam que o aparecimento de mais espaços do género ajudarão a integrar os mais de três milhões de muçulmanos do país.

Wolfgang Thierse, vice-presidente da Câmara baixa do parlamento alemão (SPD): “Eu percebo que as pessoas tenham preocupações, e os preconceitos têm muito que ver com o desconhecido, por isso julgo que podemos ultrapassar os preconceitos através do conhecimento”.

Os manisfestantes empunhavam cartazes contra a “islamização da Europa e o “abuso da liberdade religiosa”. O líder da comunidade islâmica Ahmadiyya diz que “há uma fobia do Islão na Alemanha, e em parte é justificada. Em muitos países islâmicos não há liberdade religiosa, liberdade de opinião e muitos cristãos criticam isso. E têm o direito de fazê-lo. Mas nós representamos um Islão diferente”.

O grupo dos anti-muçulmanos da antiga Alemanha comunista é constituido em parte por militantes de extrema-direita e residentes idosos.

O moovimento Ahmadyyia, que se define como muçulmano mas não é reconhecido como tal por alguns grupos muçulmanos, foi fundado na Índia no século XIX.