Última hora

Última hora

Divergências sobre redução das emissões de CO2

Em leitura:

Divergências sobre redução das emissões de CO2

Tamanho do texto Aa Aa

Ministros do Ambiente dos 27 reunidos no Luxemburgo, à procura de acordo difícil, para um programa de luta contra as alterações climáticas.

A ministra italiana foi a primeira a manifestar discordância.

Stefania Prestigiacomo considerou que a proposta apresentada não pode merecer o acordo de Itália. Precisa de ser muito mexida.

Um encontro difícil, por causa das inevitáveis restrições à produção industrial, num momento de recessão económica.
Outros estados desconfiam da proposta, o que irritou a presidência francesa:

“Claramente, o desejo de todos, todos, é fechar o acordo sob reserva, tendo em conta as especificidades particulares, as grandes dificuldades de alguns Estados, em certos dossiers. Mas não nos foi dito, não fomos mandatados, para suspender o pacote”, disse o ministro francês da Ecologia, Jean-Louis Borloo

Consenso ainda distante, com muitos estados a temerem restrições nas emissões de CO2, num momento de grave crise económica.

Isto pode comprometer o objectivo de reduzir as emissões de CO2, em 20 por cento, até 2020.

Yvo De Boer, responsável das Nações Unidas para a
luta contra as alterações climáticas teme que a Europa, com tanta divisão, acabe por não dar o exemplo, que se esperava.

Os contrutores de automóveis são os que mais temem a proposta francesa. Dizem que só com um ajuda de 40 mil milhões de euros podem baixar a produção e reduzir os efeitos poluentes dos carros.