Última hora

Última hora

Eleições israelitas 'enterram' processo de paz

Em leitura:

Eleições israelitas 'enterram' processo de paz

Eleições israelitas 'enterram' processo de paz
Tamanho do texto Aa Aa

Perante o cenário de eleições antecipadas a curto prazo, e depois de falhada a ascenção da segunda mulher da história à liderança do país, para alguns nada está perdido. “Eu penso, absolutamente, que a Tzipi Livni vai conseguir. Ela vai a eleições e ela é forte… é uma mulher, é leal… precisamos de alguém que traga um novo espírito”, afirma uma mulher nas ruas de Jerusalém.

Mas o actual panorama político favorece o reaparecimento da direita israelita na cena governativa. O partido Likud liderado por Benjamin Netanyauhu é apontado pelas sondagens como o grande favorito a uma vitória.

Os analistas confirmam: “Eu penso que a situação que se desenrola actualmente beneficia sobretudo Benjamin Netanyahu. Tzipi Livni falhou de um modo que pode apenas prejudicar a sua imagem pública”, adianta o colunista Amotz Asa -El do jornal “Jerusalem Post”.

Uma eventual saída de cena definitiva de Livni e dos centristas, levanta ainda mais questões sobre o futuro do processo de paz.

Saieb Erekat, principal negociador palestiniano, considerou que “a situação interna em Israel, tanto no caso de uma coligação como de eleições, é uma questão doméstica israelita. Posto isso eu espero que o povo israelita escolha a paz e acabe com a ocupação e com as actividades nos territórios e escolha uma solução a dois Estados. O israelita e o palestiniano, concluiu.

Enquanto chefe da diplomacia israelita, Livni conduziu negociações com os palestinianos no âmbito de um plano traçado por Washington, que se encontrava num impasse, e que até agora não tinha conduzido a parte alguma.