Última hora

Última hora

Forças da ONU na RD Congo impotentes para proteger população

Em leitura:

Forças da ONU na RD Congo impotentes para proteger população

Tamanho do texto Aa Aa

A cada hora que passa agrava-se a situação das populações do leste do Congo.

Á medida que os rebeldes tutsis, liderados pelo general Laurent Nkunda, avançam no terreno, acentuam-se os combates e a impotência das forças das Nações Unidas no território.

A sede da ONU em Goma foi alvo da revolta de grupos de civis que acusam as forças de paz de não conseguir proteger os habitantes.

Entratanto, em Genebra, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados confirma a gravidade dos incidentes:
“Já existem cerca de 800.000 a um milhão de pessoas deslocadas internamente nessa região, o que representa uma grande parte da população a precisar de ajuda. É uma situação de segurança muito difícil de gerir. Acontece que aqueles que foram obrigados a fugir das suas casas têm de vir até nós porque nós não podemos enviar equipas para o interior, existem demasiados combates e é muito perigoso, é a anarquia”, afirmou Ron Redmond, porta-voz do UNHCR.

Segundo as últimas informações, as forças rebeldes estavam a poucos quilómetros de Goma, capital da província oriental de Kivu Norte.

Os combates intensificam-se pouco depois de o presidente Joseph Kabila ter renovado o Governo e do comandante militar da missão da ONU na República Democrática do Congo ter apresentado demissão do cargo alegando motivos pessoais.